Goiás Velho, como é chamada a cidade de Goiás, localizada no estado de Goiás, cerca de 125 km da capital Goiânia. O apelido é para diferenciar o nome do estado e do município, um lugar histórico, onde fica o Museu Casa de Cora Coralina, poetisa que dizia: “recria tua vida sempre, sempre”.

E, assim, se recriando ao passar dos anos que a Fazenda Ponte Alta, vem construindo sua história de 36 anos com êxito na produção de leite, sendo a atividade leiteira sua única fonte de renda.  Atualmente, são mais de 10 mil litros diários, um número pautado em três premissas: respeito aos animais, cuidado com os colaboradores e investimento em um produto natural e de qualidade.

O produtor Giovani Godinho é cliente da Nutron, marca da Cargill Nutrição Animal, e reconhece a importância que um produto diferenciado faz na saúde de seu rebanho de 770 animais, destes, cerca de 300 vacas em lactação. “Os consultores técnicos da Nutron atuam em parceria com veterinário e nutricionista contratados da fazenda. A vaca merece o melhor, ou seja, aquilo que se pode confiar, ninguém cresce e permanece grande à toa. Com o avanço da seleção genética da Fazenda, visando sempre saúde e produtividade, encontramos  nos produtos da Nutron uma parceria focada nos mesmos princípios da fazenda, trazendo assim resultados excelentes de sanidade e reprodução (taxa de prenhez geral média ano 2020 de  39,1%).”

Quando começou sua produção, há 36 anos, Giovani tirava o leite na mão, sem assistência técnica e local apropriado. Ele assumiu a fazenda com 12 vacas logo que se casou, foi uma terra concedida pelo seu pai. Começou, na época, a tirar 20, 30, depois 150 e até 200 litros diários.

Depois de oito anos na produção manual, foi aumentando o rebanho e decidiu testar a ordenha mecânica. Assim, aos poucos, foi aprendendo sobre a melhor alimentação, manejo, ambiente e infraestrutura adequada para oferecer às vacas. Atualmente, possui um galpão preparado para o conforto dos animais, com ambiência controlada e todos os requisitos, como iluminação e temperatura, que contribuem na manutenção da saúde e bem-estar do rebanho e, consequentemente, na eficiência da produção.

Em 2015, eram cerca de 29 litros/vaca/dia, o aumento da produção de lá para cá deve-se a uma rotina de alimentação adequada e as melhores práticas de manejo, o que vem garantindo produtividade sem prejudicar o animal.

“A vaca tem sentimento, precisamos compreender suas necessidades e respeita-la. Buscamos o máximo da produtividade sem maltratá-la. Atualmente, elas produzem cerca de 35 litros/vaca/dia, na condição mais natural possível”, comenta Giovani.

​​​​​​​Desafio e oportunidade 

Segundo Gustavo Medeiros, coordenador técnico comercial da Cargill Nutrição Animal, logo no início do atendimento, a Fazenda Ponte Alta apresentava uma particularidade: todos os números e índices estavam em ordem, o que aumentou o desafio de gerar valor para o cliente com nosso produto fugindo do viés do preço. “Assim, junto ao nosso franqueado Alexandre Alberto, começamos a visitar a fazenda rotineiramente usando nossas ferramentas em busca de algo que poderíamos apresentar para o cliente. Foi então que utilizando as técnicas de validação de mistura da TMR encontramos pequenos espaços para ajustes dentro da dieta, apresentamos para o cliente as melhorias e, assim, viramos a chave para fecharmos 100% da fazenda conosco”, conta.

Bem-estar integral

A localização em Goiás Velho é um desafio logístico para a produção da Fazenda Ponte Alta, pois não é uma rota simples para escoar a produção. No entanto, as boas práticas na pecuária leiteira têm colocado a fazenda em destaque. Hoje, a Ponte Alta ocupa uma posição de destaque entre os maiores produtores de Goiás e do Brasil, mesmo com todos os desafios de sua localização.

Para sua produção leiteira rentável e sustentável, a Fazenda Ponte Alta atua com evolução genética, bom manejo das bezerras, alimentação adequada na recria, dedicação à saúde e bem-estar das vacas, produção de volumoso de qualidade, investimento em instalações adequadas, reuso de água, prática de compostagem, dentre vários outros pontos.

A preocupação com o bem-estar é integral, tanto com os animais, como com os colaboradores e o meio ambiente. Giovani conta a preocupação de manter os funcionários conscientes de seu papel e importância na fazenda e anualmente há treinamentos para que conheçam e pratiquem o respeito aos animais. “Sabemos que as pessoas fazem parte da engrenagem que movimenta a fazenda, sabemos que é um trabalho integrado. Tratar bem a vaca, tratar bem o colaborador, ter uma parceria pautada na confiança como a da Nutron/Cargill, isso faz a nossa história ser bem-sucedida”, conclui.

COMPARTILHE:


Versão de Impressão Versão de Impressão