Há décadas, as diarreias têm sido registradas como a causa mais comum de morte para bezerros de leite na fase de amamentação. Além da perda econômica pelas mortes, as diarreias aumentam os custos de tratamento e mão-de-obra, e reduzem as taxas de crescimento, afetando assim a produção futura.

Foi determinado que para cada dia de um bezerro doente, nos primeiros quatro meses de vida, custa-lhe cerca de 278 quilos de leite na primeira lactação, e cada quilo de ganho diário médio nesta fase vale cerca de 380 kg de leite na primeira lactação.

Além disso, pesquisas de várias universidades mostraram uma correlação entre o alto ganho diário médio no período pré-desmame e o aumento da produção de leite na primeira lactação. Isso significa que a redução do ganho de peso devido às diarreias não só aumentam os custos no período da criação das bezerras, mas pode limitar a produtividade de uma novilha no futuro. Protocolos para prevenção de diarreias e o tratamento rápido  podem ajudar a melhorar sua linha de fundo.

Comece a prevenção ao nascer

Qualquer coisa que o nariz e o toque da boca do bezerro podem infecta-lo com um patógeno. Portanto, restos de cama, equipamentos de alimentação, as mãos do alimentador, etc. devem ser todos extremamente limpos para evitar contaminação. O colostro também é crítico para a saúde da bezerra porque é a principal fonte de imunidade do bezerro durante suas primeiras semanas de vida (as mais críticas). Se não for bem administrado, o colostro também pode ser uma fonte de infecção.

Vacinar os bezerros ou vacas secas também podem ser usadas como ferramenta de Prevenção. Trabalhe com seu Veterinário para identificar os patógenos causadores de diarreia em sua fazenda, e desenvolva um protocolo de vacinação adequado para gerenciá-los de forma eficaz.

Limitar o contato direto entre bezerros

O bezerreiro individual é a melhor maneira de evitar que as diarreias se espalhem, pois elimina o contato direto entre os bezerros. Dentro do bezerreiro, é importante mante -los  com idades próximas (máximo duas semanas) entre eles em cada abrigo, se possível, já que bezerros mais velhos podem transmitir patógenos para bezerros mais jovens. As diarreias patogênicas podem ser causadas por vírus, bactérias ou protozoários. Rotavírus, Coronavírus, E. coli, Salmonela,  Clostridium perfringens ou infecções por Criptosporidium são as causas mais comuns de diarreias em bezerros leiteiros. A limpeza adequada dos equipamentos de alimentação e das gaiolas são as melhores maneiras de minimizar a exposição dos bezerros a esses patógenos.  Os equipamentos de alimentação devem ser:

  1. Enxaguado com água morna para remover resíduos
  2. Lavado e esfregado com sabão e um pincel usando água quente
  3. Enxaguado
  4. Desinfetado com um desinfetante apropriado
  5. Enxaguar novamente e deixar secar completamente.

A cama deve ser removida das casinhas ou baias entre grupos de bezerros. Podemos usar vassoura de fogo e também fazer a caiação de toda a região. O uso de um desinfetante também pode ajudar a prevenir diarreias.

Guia prático para identificar os agentes causadores de diarreia em bezerras

As bezerras precisam de constância na alimentação

Patógenos não são a única razão pela qual os bezerros tem diarreia; práticas alimentares inadequadas podem causar isso também. A consistência em cada alimentação é fundamental para prevenir as diarreias. O substituto do leite ou o leite integral devem ser monitorados com um termômetro e fornecido entre 38ºC e 40ºC.  Níveis inconsistentes de sólidos no substituto de leite ou leite integral é outro culpado de diarreias. O substituto do leite deve ser pesado em cada alimentação para garantir que os bezerros recebam a relação pó-água adequada, sempre usar a mesma concentração. No caso do leite integral ou residual, os sólidos totais devem ser monitorados com um dispositivo de análise de leite ou Refratômetro de BRIX. Se os sólidos totais forem inconsistentes na alimentação, um corretor de leite pode ser usado para manter a consistência total dos sólidos.

“Tenha em mente que os bezerros alimentados com grandes volumes de substituto de leite ou leite muitas vezes produzirão fezes soltas que pode ser confundido muitas vezes com diarreia. Neste caso, é importante avaliar outros fatores como comportamento alimentar e temperatura retal para determinar se um bezerro está realmente doente”.

Forneça eletrólitos para os bezerros com diarreia; tenham cuidados com o uso indiscriminado de antibióticos

Uma vez que os bezerros tenham começado a eliminar fezes amolecidas, responda rapidamente para que possam se recuperar o mais rápido possível. Diferentes patógenos têm diferentes modos de ação para causar danos ao trato intestinal levando a diarreias, mas todos os bezerros com diarreia têm uma coisa em comum – eles estão perdendo água e eletrólitos. Isso leva à desidratação, acidose metabólica e, muitas vezes, um equilíbrio energético negativo.

Muitas vezes, os produtores são rápidos em administrar antibióticos sem diagnosticar adequadamente a causa da infecção. Os antibióticos não são projetados para tratar infecções virais ou protozoárias, e podem atrasar a recuperação se usados para esses tipos de infecções. Em casos de infecções bacterianas conhecidas, trabalhe com seu veterinário para projetar um protocolo de tratamento adequado.

Importante é identificar as causas e iniciar o tratamento o mais rápido possível:

TRATAMENTO PROFILÁTICO:

  • Usar método “tudo dentro-tudo fora”
  • Ambientes secos e livres de correntes de ar
  • Boa higiene

TRATAMENTO CURATIVO:

  • Fornecimento de solução eletrolítica o mais rapidamente possível (Na, K, Cl)
  • Com osmolaridade de 300 a 450 mOsm/litro
  • Fornecer fontes de energia de rápida absorção como dextrose e glicose
  • Compensação da acidose metabólica usando uma solução tampão
  • Controlar a desidratação diariamente

CONSEQUÊNCIAS A LONGO PRAZO:

  • Diarreias em bezerros aumentam os risco de aparecimento de pneumonias em até 18 vezes
  • Diarreia em bezerra pode atrasar a idade ao primeiro parto em até 1,3 meses
  • Cada dia do animal doente representa uma perda de 126 kg de leite na lactação futura
  • Aumenta 2,5 vezes a chance de perda em vacas de primeira cria

Em contraste com os antibióticos, os eletrólitos orais são frequentemente sub utilizados ou são administrados tarde demais. Muitos produtores estão abrindo mão de uma oportunidade de economizar dinheiro. Os eletrólitos orais são significativamente mais baratos que a maioria dos antibióticos e são frequentemente o tratamento mais adequado. Quanto mais rapidamente os produtores puderem intervir com a terapia de eletrólitos, melhores são os resultados. Isso requer que os bezerros sejam monitorados durante as alimentações para ver se há alguma diminuição na velocidade de beber ou quão agressivamente os bezerros vão para a mamadeira ou balde. Recomendo administrar eletrólitos para aqueles bezerros que já apresentam comportamento anormais ou parecem mais lentos ou menos agressivos do que o normal.

As diarreias podem levar ao aparecimento de um quadro de acidose metabólica:

ACIDOSE METABÓLICA:

  • Acidose metabólica (queda no PH do sangue) resulta em um acumulo de íons H+ no sangue e é uma consequência de doenças diarreicas das bezerras
  • Bezerras que sofrem de diarreia têm uma grande perda de cátions (Na e K), o que leva a um conteúdo aumentado de íons H+ e ânions (lactato) no sangue.
  • Sem o tratamento correto o bezerro desidrata, na pior das hipóteses o animal pode morrer

MEDIDAS PARA PREVENIR A ACIDOSE METABÓLICA:

  • Suprimento suficiente de cátions fortes ( Na e K) para equilibrar o balanço hídrico dos bezerros
  • Promovendo a absorção de Na e água do intestino
  • Compensação de acidose metabólica usando solução tampão ( bicarbonato de sódio)
  • Fornecimento de fontes de energia rapidamente disponíveis, como dextrose e glicose
COMPARTILHE:


Versão de Impressão Versão de Impressão