Nos últimos anos, a crescente demanda por carne de aves exigiu que as empresas alcançassem a máxima eficiência na produção de pintaínhos de um dia. Além do mais, esta tendência tem promovido uma forte valorização no preço dos pintos no mercado global. Entretanto, problemas relacionados ao manejo, saúde e fertilidade dos rebanhos reprodutivos desafiam constantemente os esforços das empresas de criação de aves para alcançar níveis ótimos de desempenho.

É amplamente reconhecido que os problemas de fertilidade estão fortemente associados aos machos, mesmo que as fêmeas também possam influenciar os parâmetros de desempenho reprodutivo dos lotes. Portanto, é recomendável concentrar esforços em ações que melhorem a funcionalidade reprodutiva dos galos.

Entre os aspectos reconhecidos como prejudiciais destaca-se o estresse oxidativo, afetando sensivelmente a qualidade do sêmen, a viabilidade e funcionalidade das células espermáticas e, até mesmo, a integridade do material genético carregado dentro do esperma. A oxidação é devida aos altos teores de compostos lipídicos nos componentes seminais, sendo estes compostos altamente suscetíveis ao ataque de radicais livres. Além disso, o estresse oxidativo também pode afetar a produção e excreção de hormônios reprodutivos, especialmente a testosterona e, consequentemente, afetar a espermatogênese, o processo pelo qual os espermatozoides são formados nos tecidos testiculares.

A literatura científica é bastante abundante em relação ao uso de ingredientes ativos de plantas, os chamados compostos fitogênicos, para mitigar os efeitos prejudiciais do estresse oxidativo sobre a fertilidade masculina em diferentes espécies. Numerosos ensaios com modelos experimentais animais têm demonstrado o impacto esses compostos sobre os processos oxidativos no metabolismo. Nesses estudos, a adição de aditivos fitogênicos na dieta resultou na recuperação dos parâmetros mais críticos de fertilidade de machos reprodutores e resultados consideravelmente positivos sobre marcadores biológicos que indicam a redução do impacto dos radicais livres.

Os compostos fitogênicos podem ter efeitos antioxidantes diretos, tais como a eliminação de radicais livres por polifenóis, ou mesmo indiretos, ao estimular o organismo dos animais a sintetizar maiores quantidades de substâncias antioxidantes endógenas (glutationa peroxidase, superóxido dismutase etc.). Tais substâncias, por sua vez, garantem proteção contra processos oxidativos. Certos compostos fitogênicos, como alguns óleos essenciais e saponinas, também podem afetar diretamente a regulação hormonal e, consequentemente, a espermatogênese.

Com base no amplo e profundo conhecimento do universo dos compostos fitogênicos e seus respectivos efeitos sobre o metabolismo dos animais de produção, a Delacon, pioneira e líder mundial na produção de aditivos fitogênicos para alimentação animal, lançou recentemente uma solução natural revolucionária para melhorar a fertilidade dos machos reprodutores. Este aditivo fitogênico tem uma formulação única especialmente desenvolvida para tratar de questões reprodutivas e controlar os efeitos do estresse oxidativo. Em sua composição, uma ampla gama de óleos essenciais, flavonoides e saponinas, todos obtidos de fontes naturais, proporcionam um aumento na resistência oxidativa do sêmen e seus componentes e otimizam os processos hormonais reprodutivos.

Dessa forma, os fitogênicos se afirmam como uma ferramenta única e poderosa para mitigar o estresse oxidativo em reprodutores, otimizando a produção de testosterona, melhorando diretamente os parâmetros de qualidade seminal, e indiretamente aumentando os níveis de desempenho reprodutivo dos reprodutores.

COMPARTILHE:


Versão de Impressão Versão de Impressão