Propriedades Leiteiras do Brasil

A modernização das propriedades leiteiras do Brasil é um movimento sem volta e parte da razão disso se deve à falta de mão de obra qualificada para a realização das atividades de rotina. O artigo que você vai ler retrata um pouco da rotina e dos desafios da produção de ração numa propriedade leiteira, orientando o produtor em relação a tomada da melhor decisão em como entregar de forma segura a correta a quantidade de nutrientes as suas vacas leiteiras. Ele também fala da nova linha de núcleos para dietas e vacas em lactação, NutronMilk, que levou estes aspectos em consideração e trouxe um produto inovador, com o mais alto grau de tecnologia, que permite ao produtor adicioná-lo diretamente no vagão de mistura total, o NutronMilk TMR.

A rotina na propriedade leiteira

Nem todas as pessoas se adaptam ao estilo de vida e a rotina de uma propriedade leiteira, onde o expediente inicia antes do nascer do sol e termina depois que ele se põe. Por isso, a mão de obra é elencada como uma das principais preocupações dos produtores de leite, não só no Brasil, mas em todo o mundo.

As propriedades vem ano a ano se modernizando com tecnologias que diminuem a necessidade da mão de obra através da aquisição de equipamentos para retirada de silagem, vagões de mistura de dieta, ordenhadeiras robotizadas, entre outros. Por outro lado, a necessidade de qualificação da mão de obra para operar estas novas tecnologias vem aumentando na mesma proporção.

Das atividades de rotina, sem dúvida a ordenha e a alimentação são aquelas que demandam mais tempo e mão de obra. Neste sentido, temos uma novidade para aqueles produtores que produzem a própria ração em casa ou que têm dificuldade de adquirir alguns ingredientes devido a formação de cargas ou elevado capital de giro. O NutronMilk TMR é um concentrado proteico/energético com os macro, microminerais, aditivos de última geração e vitaminas necessárias para vacas leiteiras de alta produção, desenvolvido para ser adicionado diretamente no vagão TMR ou de mistura total.

Mas antes de decidir pelo uso desta tecnologia, é necessário observar alguns detalhes, que serão comentados a seguir.

 

 Desafios na produção das rações nas propriedades leiteiras

A produção das rações nas propriedades leiteiras é uma prática muito comum em todo o Brasil, justificada principalmente pela redução de custos e/ou certeza do produtor com relação a oferta de ingredientes para os seus animais. Estes argumentos devem ser avaliados com cautela:

  1. Redução de custos: usualmente, a produção de ração tem custo de formulação mais baixo do que as rações compradas. No entanto, devem ser considerados os custos de aquisição (valor principal e juros) de misturadores, silos de armazenagem, balanças (normalmente mais de uma), sistemas de transporte, mão de obra adicional, custo do capital de giro para estocar os ingredientes, depreciação e custos de manutenção;
  2. Confiança na oferta de ingredientes: a certeza com relação a oferta de ingredientes não significa melhor qualidade das rações. A qualidade das matérias-primas adquiridas deve ser checada através de análises bromatológicas programadas e frequentes. Nem todo o milho é igual, nem todo o farelo de soja é igual. O custo das análises deve ser considerado no custo da ração.

Outro ponto de atenção na propriedade leiteira é a pesagem de ingredientes. Existem também dois pontos que devem ser conhecidos, definidos pela engenharia por trás da construção de balanças:

  1. Precisão da balança: 4% da capacidade máxima. Isso significa que uma balança de 500 kg tem precisão para pesagens acima de 20 kg. Ela pesa quantidades inferiores, porém não garante precisão. Digamos que o volume do misturador permita produzir 500 kg de ração e existe um componente da fórmula que tenha 1% de inclusão (ureia, por exemplo), a quantidade a ser pesada seria de 5 kg. Neste caso, para garantir a precisão da pesagem, o produtor também teria que ter uma balança com capacidade máxima de pesagem menor que 125 kg;
  2. Sensibilidade da balança: 0,3% do menor componente. Já vimos que o menor componente deve representar 4% da capacidade máxima da balança. Desta forma, usando como referência a primeira balança acima (pesagem máxima de 500 kg), a sensibilidade dela seria de 60 gramas, ou seja, quando a referida balança pesa 20 kg ela pode estar pesando na realidade qualquer valor entre 19,940 a 20,060 kg. Estes são valores aceitáveis e esperados quando a balança é certificada/calibrada de acordo com as normas técnicas.

O produtor só deve seguir com a fabricação de ração em casa se for capaz de gerenciar estes desafios. Caso contrário, recomendamos a compra de rações de parceiros da Nutron, cujas fábricas são devidamente registradas no Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) e que recebem suporte para o monitoramento da qualidade e segurança das rações.

NutronMilk TMR, segurança e praticidade na hora de misturar a ração

Para adotar o sistema TMR, precisamos de um misturador que permita a adição direta de todos os ingredientes da dieta (fórmula), incluindo o NutronMilk TMR, para que se consiga otimizar a mão de obra. Além do vagão, é necessária uma estrutura de armazenagem para os ingredientes, podendo ser composta por silos de armazenagem para cada uma das matérias primas usadas na dieta (entre 3 e 5) ou um pavilhão coberto que contenha diversos compartimentos separados e que permita armazenar os produtos diretamente no piso. Para os ingredientes que necessitam moagem prévia, uma boa logística entre silo de armazenagem do grão, moinho e silo de armazenagem do produto moído é imprescindível. Quando o depósito é diretamente no piso, é necessário um sistema de transporte até o moinho e vagão, como roscas transportadoras.

Solucionadas as questões anteriores, partimos para os itens importantes do vagão de 4 e 7 m3.  Nesses modelos avaliados, verificamos seus pesos máximo da balança de 1.800 e 2.700 kg, respectivamente. Desta forma, para garantir precisão na pesagem comentada anteriormente o ingrediente de menor inclusão deve ter peso superior a 72 kg para o vagão de 4 m3 e de 108 kg para o vagão de 7 m3. Vamos usar dois exemplos com o vagão de 4 m3.

  1. 60 vacas em lactação: consumo de 45kg de dieta/ dia, divididos em dois tratos, produção média 30 litros/vaca ao dia. Neste caso, teríamos que produzir 2.700kg de dieta por dia ou 1.350kg por trato. Para esta produção, a recomendação do NutronMilk TMR é 2 kg/vaca ao dia, o que representa 60 kg/trato. Como este valor é inferior aos 72 kg recomendados, é necessária uma balança apropriada para realizar esta pesagem, garantindo assim precisão no fornecimento da parte mineral, vitamínica e aditivos.
  2. 75 vacas em lactação: consumo de 44kg de dieta/ dia, divididos em dois tratos, produção média de 30 litros/vaca ao dia. Neste caso, teríamos que produzir 3.300 kg de dieta por dia ou 1.650 kg por trato. Da mesma forma que acima, a recomendação do NutronMilk TMR é 2 kg/vaca ao dia, o que representa 75 kg/trato. Como este valor é superior aos 72 kg recomendados, não é necessária uma balança adicional para realizar esta pesagem.

 

Por que usar o NutronMilk TMR?

O NutronMilk TMR é um produto que propõe maior agilidade e segurança para aquele produtor que deseja e tem estrutura para fazer as rações na propriedade, observando todas as necessidades de qualidade, porém usando somente o vagão TMR.

Além disso, o NutronMilk TMR tem todos os ingredientes necessários para a nutrição avançada de vacas leiteiras, que são usados em pequenas quantidades e que exigem balanças menores, de maior precisão e mais caras: macrominerais, microminerais, vitaminas, aditivos, gordura protegida, ureia/ureia protegida, tamponantes e proteína by pass. Isso proporciona:

  • Menor chance de erro na adição de ingredientes que entram em volumes baixos;
  • Redução de perdas de ingredientes nas pesagens;
  • Redução do número de ingredientes em estoque;
  • Maior poder de negociação dos ingredientes que podem ser comprados em quantidades maiores, como as fontes proteicas e energéticas por liberação de espaço de estocagem;
  • Menor capital imobilizado em estoques armazenados na propriedade.

Quanto à composição do produto, temos macrominerais, microminerais, vitaminas e aditivos tecnológicos suprem as necessidades nutricionais das vacas leiteiras e trazem os três conceitos nutricionais exclusivos da Nutron: Casco (maior integridade de casco), Digest (maior digestão dos nutrientes) e Defense (maior saúde dos animais).

A gordura protegida é o Nutrigordura Lac, uma tecnologia já consolidada que oferece energia de alta digestibilidade para as vacas leiteira e traz respostas consistentes em aumento de produção de leite.

A proteína by pass é oriunda do SoyPass Br, a tecnologia global mais avançada em termos de proteção do farelo de soja da degradação ruminal, que permite aos bovinos leiteiros um aporte adicional de aminoácidos diretamente no intestino, reforçando saúde e produção de leite das vacas.

Os tamponantes são responsáveis por diminuir a variação de pH no rúmen, acontecimento natural que acontece pela fermentação de carboidratos. Eles melhoram o consumo de alimentos e a qualidade do leite.

A ureia/ureia protegida são fontes de proteína degradável no rúmen necessárias para que as bactérias do rúmen se multipliquem, realizando a fermentação da fibra, produção de ácidos graxos voláteis e o próprio crescimento microbiano.

NutronMilk TMR é a mais completa solução para quem usa o TMR como seu aliado na produção de rações.

 

Conclusões

Como podemos observar neste artigo, a decisão de produzir a ração na propriedade não é tão simples quanto parece. Uma série de fatores devem ser respeitados para que seja produzida uma ração de qualidade. Abordamos de forma superficial aqueles que consideramos mais importantes e trouxemos uma solução adicional para aquele produtor que esteja preparado para tal, o NutronMilk TMR.

COMPARTILHE:


Versão de Impressão Versão de Impressão