Pegue uma mulher determinada e coloque um desafio em sua frente. Acredite, ela vai superá-lo. Essa é a verdade de Melina Pinheiro, Coordenadora de Canais da Cargill. Carregando uma grande bagagem de experiência, ela vê sua presença como uma somatória. “Vejo que homens e mulheres se complementam de forma positiva nos pontos de vista e conduta dentro das diversas atividades. Com isso a mulher vem obtendo seu espaço por competência e respeito, principalmente dentro do agronegócio onde ainda o “machismo” permanece mais presente”, explica.

A experiência serve como uma guia, que Melina não só usa em seu dia a dia, mas transmite para as mulheres que entram no agronegócio. “Sempre que tenho a oportunidade de trocar experiências com as mulheres novatas no ramo, procuro passar a mensagem: Aqui existe lugar para todos, mas para sobreviver e sobressair, nós, mulheres, precisamos cuidar um pouco mais das nossas condutas, vestimentas e postura frente aos demais. Com ética, respeito e competência conseguimos ir longe”, aconselha.

Parte de ser mulher e participar do mercado agro é superar obstáculos. “Na minha visão a mulher agrega em tudo, não só no agro. Pra mim existe complementariedade de visões, intuições, competência e habilidades. Sendo assim, vejo só soma de oportunidades de uma cadeia cada vez mais produtiva e eficiente”, diz Melina.

É importante que, além da determinação, a capacitação seja uma aliada. “Minha primeira formação no setor foi em Técnico em Agropecuária no ano de 2006, logo após, ingressei no curso de Tecnologia do Café em 2007, porém em 2008 optei por seguir ainda mais meu coração e partir para Zootecnia, onde me formei em 2012. O que me motivou desde o início foi a necessidade de o homem do campo necessitar constantemente de conhecimento, técnicas e reconhecimento pelo seu trabalho esse é o principal ponto que faz meu coração pulsar cada dia mais pelo agro”, encerra.

COMPARTILHE:


Versão de Impressão Versão de Impressão